quarta-feira, 5 de julho de 2017

Gosto de olhares

Gosto de olhares sinceros, daqueles que conseguem nos calar e acalmar ao mesmo tempo. Que seja um olhar sério de compreensão, ou aqueles que vem acompanhados de sorrisos e esses risos regados à pensamentos aflorados. Sinto até o cheiro desse afago. Gosto de olhares sinceros, pois se não forem sinceros o coração estranha. Gosto de olhares tristes, pois a tristeza não tem como ser escondida. Um olhar que acabou de chorar, avermelhado e exausto. Gosto daquele olhar que não se preocupa com as horas, um olhar que aproveita cada instante do tempo, do agora e do momento. Não por saber, mas sim por sentir prazer, por querer! Gosto de olhares que nos miram profundamente, por mais que você não retribua por timidez, é bom quando o outro entende (mas só é bom quando o outro entende). Entende que você tem um mar de palavras dentro de si, e que seu marinheiro interior navega sozinho em busca de terra firme para colocar os pés no chão. Entende também que o seu maior refém, é o coração. Gosto de olhares, gosto de palavras e do silêncio. Gosto da escuridão e do calor do sol, do céu azul numa manha de inverno e até da solidão. Gosto do amor e do mar, de amar e da dor. Gosto do cheiro do café pela manhã, e do canto dos passarinhos. Gosto daquilo que é recíproco, e isso é tão raro, gosto por isso. Gosto de tantas pessoas, mas confio em tão poucas, quase ninguém. Gosto de falar sozinha, principalmente enquanto tomo banho. Costumo falar coisas sobre a vida, crio teorias, esqueço do mundo la fora, choro às vezes, e também falo coisas as quais gostaria de falar para outrem, porém, acredito que eu nunca irá dizer. Gosto mais ainda quando meu eu fala comigo, é lindo ver a consciência falando em voz alta.
Gosto de sentir, gosto de me perder e de aprender, gosto de olhares sinceros acompanhados de um sorriso e esses risos regados à pensamentos aflorados. Sinto até o cheiro desse afago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário